Dezembro Laranja: Um alerta para perigo do câncer de pele.

Com o fim do ano se aproximando, os dias passam a ser cada vez mais ensolarados e quentes. Dezembro é o mês de início à Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD. Esse ano o tema é “Se exponha mas não se queime”, que alerta a população para os perigos de se expor ao sol sem a devida proteção e que busca disseminar a o valor dos cuidados com a pele, o uso do protetor solar, os riscos da doença e a importância do diagnóstico precoce para evitar mutilações ou danos maiores.

O câncer de pele é o mais incidente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer). A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca) para o biênio 2018-2019 é que surjam 165.580 novos casos de câncer.

O câncer de pele é totalmente curável desde que você descubra bem no começo. A doença é dividida em dois grupos: o melanoma e o não melanoma. No primeiro, o tumor afeta os melanócitos, células responsáveis por produzir a melanina. Apesar de ter menor incidência (a estimativa do Inca é de 6.260 casos para este ano), este tipo de câncer é mais agressivo e, se não for tratado, pode provocar metástase. Já o não melanoma é menos agressivo e mais frequente.

Os homens são os mais afetados por este tipo de câncer justamente por causa da maior exposição ao sol sem proteção. Quanto mais branca a pessoa for, maior é o risco de desenvolver a doença.

As peles são classificadas em seis fototipos, sendo 1 a branca e 6 a negra. Quem tem os fototipos 1 e 2 está mais propenso a ter câncer de pele. Além disso, quem tem histórico familiar ou pessoal de câncer de pele também tem mais risco.

Por isso, ao notar qualquer pinta nova no corpo, a recomendação é procurar por um dermatologista ou um clínico geral. As pessoas devem ficar de olho nas manchas e pintas que já têm: se aumentaram de tamanho rapidamente, se as bordas ficaram irregulares e borradas, se mudaram de cor ou passaram a ter várias cores. Esses são os sintomas de câncer de pele. Apenas os médicos dermatologistas e oncologistas estão capacitados para fazer o diagnóstico, porém algumas características podem ajudar a população a identificar a doença.

Tendo como principal causa a exposição excessiva à luz do sol ou das câmaras de bronzeamento, o câncer de pele surge com mais frequência nas áreas mais expostas como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo (em calvos), ombros e costas.

A melhor maneira para reduzir o risco de desenvolver a doença, é reduzir a exposição solar e fazer o uso de protetor solar diariamente, com fator de proteção solar (FPS) 30 ou maior.

 

Recomendações importantes

• Faça uso de um protetor solar todos os dias. Ele deve ter, no mínimo, fator de proteção solar (FPS) 30 e capacidade de proteger contra a radiação UVA e UVB. Aplique cerca de meia hora antes da exposição ao sol e reaplique a cada duas horas. Na praia ou na piscina, faça uma nova aplicação a cada mergulho ou após secar o corpo com a toalha.

• Fique sempre com óculos escuros. Este item deve ter proteção contra os raios ultravioleta.

• Use chapéus e bonés para proteger a cabeça dos raios solares.

• Na praia ou na piscina, use roupas que tenham proteção contra os raios UVA e UVB. Durante o dia use roupas leves que cubram os ombros.

• Evite ficar exposto ao sol entre 10h e 16h, pois neste período os raios ultravioleta são mais incidentes.

Deixe seu comentário!



Endereço:

Av. Jabaquara 1771 – Saúde

São Paulo / SP

Telefone / Fax: +55 (11) 3508.0300

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: [email protected]

%d blogueiros gostam disto: