cuidados com a radiação solar

Você sabe os danos que a radiação solar pode causar na pele?

A radiação solar tem efeitos profundos sobre a pele e pode ocasionar diversos efeitos deletérios. O potencial de dano depende do tipo e da duração da exposição.

Os raios ultravioletas são divididos de acordo com o seu comprimento de onda, apresentando, por este motivo, diferentes ações na pele humana.

Os raios UVA (320 a 400 nm) apresentam ondas mais longas e menos energéticas. Devido ao seu comprimento de onda, atingem áreas mais profundas da pele, resultando em alterações que levam à formação de manchas, ao fotoenvelhecimento e ao câncer.

Esse tipo de radiação possui um papel muito importante na formação do câncer de pele e no envelhecimento. A radiação UVA induz a lesão ao DNA em queratinócitos e melanócitos, apresentando, também, o efeito imunossupressor. Além disso, causa a formação das ROS e a alteração das atividades enzimáticas, particularmente da catalase, induzindo também a lesão celular e a oxidação das proteínas celulares. Essa radiação também causa a formação de rugas. A radiação UVA-1 induz a expressão de MMP-1, mediada pelos mecanismos autócrinos envolvendo as interleucinas IL-1 e IL-6. Consequentemente, ocorre a degradação das fibras de colágeno e a formação de rugas.

Os raios UVB (290 a 320 nm) apresentam ondas médias (menos longas) e bastante energéticas. Por este motivo, penetram menos na pele. A radiação UVB também é considerada a principal responsável pelo eritema solar e câncer de pele.

Estudos epidemiológicos sugerem que a radiação solar UVB é a que mais influencia no aparecimento do carcinoma escamoso celular. Ela suprime o sistema imunológico induzindo a liberação de citocinas imunossupressoras e promove a formação de rugas. Além disso, a pele que sofre com a radiação UVB apresenta alterações morfológicas como uma consequência da indução dos mecanismos moleculares associados à disfunção respiratória mitocondrial.

De modo geral, o sol, além de influenciar o envelhecimento extrínseco, altera o curso normal do envelhecimento intrínseco, pois causa lesão no DNA celular e contribui para a produção de radicais livres.

Rico em antioxidantes, o Sepifit Protect é um produto perfeito para a pele, pois atua prevenindo o envelhecimento precoce, além de combater a flacidez e a perda de tonicidade da pele. Composto por vitaminas e minerais que auxiliam na hidratação da pele, este ativo trata e evita o aparecimento de manchas e rugas, possui efeitos anti-inflamatórios e contribui para a prevenção do câncer. E pode ser consumido por veganos.

 

Aprenda como reduzir o stress da pele e dos músculos dos seus clientes

O uso de suplementos tem crescido no mundo inteiro, e a cada dia surgem novos dados a respeito dos efeitos da administração oral desses compostos. Dados mostram que 66% dos profissionais de saúde recomendavam suplementos a pacientes para melhoria da saúde cutânea, cabelos e unhas, sendo que 79% destes profissionais faziam uso desses suplementos, cujo o consumo tem como objetivo suplementar com fontes concentradas de vitaminas e/ou minerais ou ainda quaisquer outras substâncias com efeitos benéficos à saúde.

Nos tempos atuais o cuidado com o corpo e a busca de uma vida saudável vem se tornando cada vez mais frequente. Pensando nisso, a empresa Vepakum traz ao mercado magistral um produto inovador que cuida da pele e do corpo ao mesmo tempo. Sepifit™Protect consiste em complexo antioxidante sinérgico que contém ativos como: Provinols™ + Zinco + Vitamina E, visando uma completa proteção muscular, com benefícios também na pele, para praticantes de atividade física que desejam usufruir de benefícios estéticos e dermatológicos. Conheça as funções de cada um dos componentes do Sepifit™Protect.

Zinco

O zinco é um mineral essencial para a função de mais de 300 enzimas em muitas espécies animais. As enzimas dependentes de zinco participam do metabolismo de carboidratos, lipídeos, proteínas e ácidos nucleicos. Algumas dessas enzimas, como o lactato-desidrogenase e a anidrase carbônica, desempenham papéis críticos no metabolismo do exercício pela regulação da glicólise e da remoção do dióxido de carbono.A deficiência de zinco induzida pelo exercício pode influenciar a geração de importantes citocinas que estão associadas com o surgimento de sintomas como fadiga, hiperalgesia (sensibilidade exagerada à dor) e depressão. Estudos clínicos demonstram que a reposição de zinco pode atenuar os efeitos da elevação decitocinas. Já na pele o zinco

Também está presente em abundância na pele, uma vez que este micronutriente é necessário para proliferação e diferenciação ativa de queratinócitos epidérmicos.

De todo os tecidos, a pele é o terceiro com maior abundância de zinco no corpo, sendo que na epiderme a concentração é maior em comparação com a derme, uma vez que o zinco é necessário para proliferação e diferenciação ativa de queratinócitos epidérmicos.

O zinco é considerado um antioxidante, uma vez que a enzima extracelular superóxido dismutase é zinco-dependente. Este elemento desempenha um importante papel na proteção contra radicais livres e também no processo da melanogênese.

Um estudo foi realizado para descobrir a relação entre o nível de zinco sérico e o espectro clínico do vitiligo, uma doença dermatológica comum caracterizada por adquirida, idiopática, progressiva, hipomelanose da pele e cabelo, com ausência total de melanócitos microscopicamente. Este estudo mostrou baixo nível de zinco sérico em pacientes com vitiligo.

 

Vitamina E e Exercícios Físicos

A vitamina E é o principal antioxidante que reage com radicais livres e sua suplementação é utilizada por diversos atletas com o objetivo de melhorar o desempenho físico.

Dessa forma, a suplementação com vitamina E pode ser eficiente para reduzir o estresse oxidativo e a quantidade de lesões às células após o exercício exaustivo.

 

E para pele?

Como falamos anteriormente a vitamina E é um importante antioxidante e é amplamente utilizado na dermatologia. Uma de suas propriedades está na proteção da pele contra os efeitos nocivos da radiação UV, sendo um dos primeiros marcadores de estresse oxidativo na pele exposta à radiação UV e a outros estressores ambientais.

O pré-tratamento com formulações com vitamina E tem demonstrado melhores resultados na proteção contra os danos fotoinduzidos à pele, uma vez que combina propriedades antioxidantes e absortivas, além de ser capaz de estabilizar a função barreira da pele.

Nos melanócitos, a vitamina E atua como inibidor da melanogênese e da atividade da tirosinase, além de apresentar potentes efeitos antioxidantes.

Outros estudos demonstraram que a vitamina E auxilia na hidratação da pele e minimiza a perda transepidermal de água associada com efeitos anti-inflamatórios. Além disso, sua associação com outros suplementos também reduziu a secreção de citocinas inflamatórias e de espécies reativas de oxigênio (ROS), o que justifica seu uso na inflamação cutânea.

 

O último componente e não menos importante é o Provinols™

Provinols™ é um extrato concentrado de todos os polifenóis (mínimo de 70%) do vinho tinto Cabernet-Sauvignon, produzido no sul da França (Languedoc- Roussillon).

Testes mostraram que o Provinols™ apresenta grande capacidade antioxidante mesmo em baixas concentrações e que esta atividade é superior ao da vitamina C.

Estudos ex vivo tem demonstrado que o Provinols™ induz vaso relaxamento devido a sua capacidade antioxidante. Além disso, também avaliaram que o Provinols™ apresenta ação hipotensiva sem afetar a taxa cardíaca e previne danos cardiometabólicos associados à obesidade.

 

Veja os benefícios dos polifenóis de Provinols™ na pele

Os polifenóis têm demonstrado exercer efeitos anti-inflamatórios, previne o envelhecimento cutâneo, efeitos fotoprotetores e antibacterianos, além de auxiliar na prevenção do câncer, pois formam um grande grupo de fitoquímicos com propriedades antioxidantes contra ROS.

Endereço:

Av. Jabaquara 1771 – Saúde

São Paulo / SP

Telefone / Fax: +55 (11) 3508.0300

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: [email protected]