o-que-e-doms-dor-muscular-de-inicio-tardio

O que é DOMS? A Dor Muscular de Início Tardio

Para esta data em que se comemora o “Dia do Esportista” vamos falar sobre um tema que todo atleta, desde o ocasional até o atleta profissional, já conhece bem: a Dor.

Quando somos iniciantes na prática de atividades físicas ou quando estamos voltando após um longo período sem atividades regulares, a dores tendem a ser mais intensas, como resposta à estímulos musculares que seu corpo não estava acostumado a receber. Mas ao mesmo tempo, atletas mais experientes, principalmente os de alto rendimento, convivem com a dor constantemente, mesmo que em menor intensidade, e alguns atletas podem até se “acostumar” com ela.

Mas enfim, o que é essa dor que sofremos algumas horas ou até dias depois de nossa rotina de exercícios?

 

Dor Muscular de Início Tardio – DOMS

Aquela dor muscular nas pernas que permanece no dia seguinte após uma longa corrida? Ou então aquela dor nos braços depois da musculação, que muitas vezes permanece durante dias após o treino intenso? Essa dor tem nome: Dor Muscular de Início Tardio, também conhecida como DOMS (Delayed Onset Muscle Soreness).

Durante os exercícios físicos causamos micro lesões nas fibras musculares, e como consequência é gerado um processo inflamatório decorrente deste esforço físico, e então se inicia o processo de reparação muscular, onde se reconstituem fibras mais “fortes” favorecendo o ganho de massa muscular o que conhecemos como “hipertrofia” e esta é a causa do surgimento da dor.

Normalmente a DOMS aparece 24h após a atividade física e atinge seu pico entre 48h e 72h depois do exercício. Porém, dores mais intensas ou prolongadas podem ter efeitos negativos para quem almeja o desenvolvimento muscular, pois a rotina de treinos poderá ser prejudicada devido à intervalos inesperados que a presença de dor pode causar.

Cuidado! Dores que se estendem por longos períodos de tempo ou possui alta intensidade, podem ainda ser indício de alguma lesão.

 

Devemos treinar mesmo com Dor?

Como comentamos, muitas vezes a dor nos faz pular o treino e alterar toda a rotina de exercícios, prejudicando a evolução para quem busca melhorar o seu desempenho e alcançar bons resultados.

Mesmo que a dor esteja presente, o ideal é que não se pule a rotina de exercícios. Mude a intensidade ou o grupo muscular a ser trabalhado e continue seguindo em frente.

Com a alimentação adequada e uma boa dose de descanso, as fibras musculares irão se regenerar adequadamente para uma nova bateria de exercícios.

Se você procura o ganho de massa muscular, jamais fique “parado” por muito tempo, pois todo o trabalho que realizou na academia pode vir por água abaixo e você poderá perder os músculos que conquistou.

 

É possível evitar a DOMS?

Como dito acima, além de uma alimentação adequada e uma boa dose de descanso para ajudar na recuperação. Não force muito os músculos que já estão doloridos e se necessário, evite treinar o grupo muscular afetado. Antes de qualquer treino o ideal é realizar uma sessão de alongamentos e um aquecimento leve. Não se esqueça que o sono também é importantíssimo para o processo de regeneração muscular.

Se você estiver iniciando na prática de atividades físicas, pegue leve e tenha paciência. Não adianta levar o seu corpo além do limite, isso não irá favorecer o processo de ganho de massa muscular e ainda poderá causar lesões mais graves. “No Pain No Gain” é válido até certo ponto, a dor não necessariamente está relacionada ao processo de ganho de massa muscular.

Proteínas e aminoácidos ingeridos através de alimentos e suplementos também irão auxiliar na reconstrução das fibras musculares. Um médico ou nutricionista são essenciais para indicar a quantidade de proteínas necessárias assim como a quantidade ideal de outros nutrientes, maximizando os ganhos e facilitando a recuperação.

 

REPHYLL®: Alívio da dor e combate a DOMS

A Vepakum Farma trouxe com exclusividade para o mercado brasileiro, o REPHYLL®. Extraído da Piper Nigrum e 100% natural, o fitocanabinóide β-cariofileno presente em REPHYLL® proporciona o alívio da dor e possui propriedades antinflamatórias e analgésicas.

A partir da ZEAL™ Technology, o β-cariofileno presente em REPHYLL® é lipossomado, garantindo a sua alta biodisponibilidade e eficácia. REPHYLL® é um agonista seletivo dos receptores CB 2, responsáveis pelo alívio da dor e consequentemente da DOMS.

Estudos mostram que REPHYLL® além de aliviar a dor, proporciona um aumento da força isométrica e do ângulo do musculo relaxado.

Você não pode parar! REPHYLL® é indicado tanto para atletas de alto rendimento que necessitam de uma recuperação mais rápida, quanto para atletas iniciantes que tendem a conviver com a DOMS por maiores períodos de tempo e com maior intensidade.

editada

Saiba como a atividade física pode “turbinar” o seu cérebro

A prática de exercícios fortalece a saúde do cérebro, além de ser muito benéfica para a saúde do coração e dos músculos do corpo. Além de ajudar a prevenir problemas futuros, os exercícios deixam nossos neurônios mais capacitados para responder aos desafios do dia a dia. Mexer o corpo fortalece tanto a massa muscular quanto a cinzenta.

Estudos científicas apontam que a prática de exercício diminui o risco de comprometimento cognitivo leve em 35% e o de Alzheimer em 51%. Mas não se trata apenas de prevenir doenças. A atividade física aprimora também o funcionamento de um cérebro considerado saudável.

Todas as células nervosas são afetadas positivamente pela prática de exercício físico. Isso porque a prática de qualquer tipo de atividade física deixa o cérebro mais desperto, e sua atividade elétrica mais intensa. Com mais conexões ativas, a mente está mais preparada para aprender.

Além disso, a atividade física estimula diversos setores do cérebro responsáveis pela locomoção, sensação e percepção, gerenciamento de emoções, dentre outros, que são fundamentais para o sucesso nas tarefas diárias. Um cérebro estimulado e ativo é um cérebro mais bem preparado para os desafios do dia a dia: além de dar conta das tarefas com mais velocidade e qualidade, tende a se recuperar mais rápido.

E, como resultado de toda atividade física, há o aumento do fluxo sanguíneo por todo o organismo – inclusive no cérebro. Esse processo permite que sejam criadas novas vias para a sua irrigação, fornecendo a ele mais oxigênio e glicose, substâncias necessárias para o seu bom funcionamento.

 

Habilidades mais aprimoradas pela atividade física

Controle inibitório – É a capacidade de segurar ímpetos irracionais e a de ignorar estímulos irrelevantes enquanto dedicamos atenção ao que interessa.

Flexibilidade cognitiva – Se uma estratégia não está dando certo ou se surgiu um imprevisto, você consegue se adaptar e resolver o desafio.

Memória – Em primeiro lugar, suar a camisa reforça a memória de trabalho, ou a competência em recorrer a informações já registradas quando elas são vitais para uma tarefa qualquer – você entende o fim do livro porque o começo dele está fresquinho na cabeça. Isso sem contar que ajuda a armazenar lembranças de curto e, em menor escala, de longo prazo.

 

Por dentro do cérebro malhado

Aquela história de que o número de neurônios não muda na fase adulta não é correta. Prova disso são as aulas de ginástica, que aumentam a quantidade de células nervosas no cérebro. Além disso, essas unidades passam a receber um aporte sanguíneo extra e ganham ramificações para se comunicarem com eficácia. São mudanças que ajudam a explicar o fato de o sedentarismo ser o terceiro maior fator de risco passível de intervenção para demências, atrás apenas do nível educacional baixo e do tabagismo.

Não podemos desvalorizar os benefícios comportamentais das modalidades esportivas. Disciplina, concentração, resiliência e trabalho em equipe estão entre os valores que auxiliam a sobrepujar desafios mentais.

atividade física ao ar livre

5 atividades físicas para praticar ao ar livre 

Exercícios são essenciais e todo mundo sabe, não importa onde e como sejam feitos. As academias e clubes nem sempre são acessíveis para todo mundo, seja por custo, ambientação ou tipo de atividade, por isso, os lugares públicos se tornam alvo de muita procura. Colocar o corpo para se mexer ao ar livre aumenta o contato com a natureza, não custa nada e, definitivamente, aumenta a qualidade de vida do praticante. Listamos aqui cinco opções de atividades físicas outdoor para você sair do sedentarismo, confira:

  • Caminhada

Um dos exercícios mais simples, mas que colhe os melhores resultados. Caminhar por meia hora todos os dias traz efeitos positivos para diversas áreas do nosso corpo, inclusive para a mente. Em ritmo lento, mas constante, a caminhada é, por si só, uma excelente opção, além de servir como porta de entrada para atividades mais exigentes.

  • Corridas

Já viu aquelas pessoas correndo no parque mesmo em dias de chuva? O exercício aeróbico condiciona seu corpo a aguentar mais esforço, melhora o funcionamento do coração e emagrece. Depois de começar a caminhar e adquirir tal hábito, arrisque trotar. Com o tempo, correr fica mais fácil e se torna um hobby.

  • Circuito funcional

Para os que buscam dinamismo, os treinos rápidos com estimulação do corpo todo são uma opção certeira. Correr, agachar, pular, empurrar e flexionar são algumas das atividades principais e a rotina também pode incluir aparelhos, como bolas e elásticos. A intenção é motivar o praticante a performar cada vez melhor. Antes de iniciar, faça uma avaliação médica para evitar imprevistos e possíveis frustrações.

  • Atividade sobre rodas

Patins, skate e, principalmente, bicicleta são formas de aliar exercícios com diversão. Além da nostalgia, os dois primeiros são desafios que exigem dedicação. A bicicleta, em contrapartida, é mais fácil de andar e um instrumento que tonifica seus músculos enquanto queima as calorias.

  • Ioga

Para os que preferem relaxar e buscar a sua paz interior enquanto se exercitam, a ioga alia todos esses benefícios. Podendo ser feita em grupo ou de forma individual, a prática ajuda na respiração, concentração, elasticidade e na musculatura.

 

Seja qual for a sua preferência de atividade, nós te aconselhamos o uso do Sepifit™ Protect, um complexo antioxidante que ajuda a minimizar os danos das atividades físicas, o que agiliza a sua recuperação para os exercícios do dia seguinte. Feito não apenas para atletas de elite, mas também para praticantes rotineiros, o Sepifit™ Protect também atua como um agente antienvelhecimento e protege a pele contra os raios UV, ameaça comum para quem se exercita ao ar livre.

Treino

5 dicas para estimular a tonificação dos músculos

Manter a saúde em dia e ficar em forma é desejo de muita gente, especialmente em épocas mais quentes. Enquanto alguns lutam para perder aquela gordurinha extra, outros almejam um corpo durinho e colocam os músculos para funcionar, tarefa que nem sempre é tão simples.

Suor, persistência e paciência são necessários para atingir os objetivos que traçamos para o nosso corpo, mas com as dicas a seguir essa jornada pode ser simplificada. Confira:

1- Beba água
A água é fundamental para qualquer um, independentemente da busca por músculos, mas essa dica básica manterá seu corpo hidratado e livre de toxinas. Chás, desde que sem açúcar, também são bem-vindos. Lembre-se: no mínimo dois litros por dia.

2- Caminhadas diárias e exercícios
Caminhadas diárias de 30 minutos servem não só como um exercício, mas também para reiniciar o corpo de forma saudável para as tarefas do dia a dia. Depois de traçada uma rotina de exercícios com um educador físico, basta seguir a programação de forma fiel, já que o progresso depende apenas de você.

3- Mude de posição e priorize seu sono
Para quem trabalha sentado durante o dia, trocar de posição e caminhar durante os intervalos ajuda na circulação e evita o surgimento de varizes e celulite. É durante o repouso que os músculos se tonificam, então dormir bem acelera tal processo, além de recuperar a fadiga dos treinamentos.

4- Consumo de proteínas
É sabido que a proteína é a maior amiga dos músculos, por isso procure por alimentos que sejam ricos. Priorize pratos que incluam feijão, ovos, salmão, quinoa e lentilha.

5- Uso de substâncias benéficas
Se quer ganhar músculos, faça da forma mais natural possível. Cremes tonificantes complementam o pacote “exercícios + alimentação balanceada” ao remover a celulite e firmar a pele.

Outro exemplo é o uso de produtos como o Sepifit™Protect, comercializado pela Vepakum Farma. O complexo antioxidante sinérgico auxilia os praticantes de atividades físicas diárias a se recuperar melhor dos danos para o dia seguinte, além de cuidar da pele.

O produto visa melhorar a performance não só dos atletas de elite, mas de quem busca colocar a saúde em dia e segue à risca a rotina de exercícios. Enquanto isso, o Sepifit™Protect também age como um antienvelhecimento e protege a pele dos raios UV.

Medidor de glicose

Síndrome metabólica: saiba como se prevenir

De uns tempos pra cá, vem se falando cada vez mais sobre síndrome metabólica. Mas você sabe o que é isso?

Síndrome metabólica é o nome dado a um conjunto de doenças que, quando associadas, aumentam muito o risco de desenvolver problemas cardiovasculares.

De acordo com os pesquisadores, as causas da síndrome metabólica são, basicamente, dieta desequilibrada e sedentarismo. Não por acaso, muitas vezes o quadro de síndrome metabólica está relacionado com a obesidade.

Aqui no Brasil, o Consenso Brasileiro sobre Síndrome Metabólica estabelece que o diagnóstico do problema pode ser feito sempre que o paciente apresentar três ou mais fatores de risco. São eles:

* Glicose alterada – glicemia em jejum na faixa de 100 a 125, ou glicemia entre 140 e 200 após administração de glicose;
* Hipertensão arterial – pressão sistólica maior que 130 mmHg e pressão diastólica maior que 85 mmHg;
* Níveis baixos do colesterol bom (HDL) – abaixo de 40 mg/dl em homens e de 50 mg/dl em mulheres – e elevados do colesterol ruim (LDL);
* Aumento dos níveis de triglicérides – maior que 150 mg/dl;
* Obesidade, especialmente na região abdominal, a chamada gordura visceral – circunferência da cintura superior a 88 centímetros na mulher e 102 centímetros no homem;
* Ácido úrico elevado;
* Microalbuminúria, ou seja, a perda de proteína através da urina.

O grande risco da síndrome metabólica é a falta de sintomas. Isso porque quase todos os problemas citados acima são silenciosos e causam pouco ou quase nenhum mal-estar no paciente. No entanto, todos eles são fatores de risco para doenças cardiovasculares graves, como ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais, por exemplo, além de diabetes tipo 2 e insuficiência renal.

Embora estime-se que as manifestações sejam mais frequentes após os 50 anos, é prudente começar a monitorar os fatores de risco já a partir dos 30.

Como se prevenir
Mudanças no estilo de vida e na alimentação são fundamentais para evitar a síndrome metabólica. Além disso, é importante controlar o peso, fazer exercícios físicos, não fumar, procurar um médico regularmente para fazer os exames de rotina e controlar os níveis de açúcar e gordura no sangue.

Caso a pessoa já se encaixe em algum dos fatores de risco, o médico poderá orientar sobre a melhor forma de tratá-lo, podendo ser necessária a administração de medicamentos, dependendo da situação.

____
Se você é prescritor, conheça o Dippia. Ele estimula a AMPK, que aumenta a sensibilidade à insulina, e ajuda na melhora dos distúrbios metabólicos induzidos pela obesidade.

Alimentação variada é fundamental para manter o bom funcionamento do instestino

Cinco motivos para cuidar bem do seu intestino

Você sabia que mais de 80% da serotonina, substância responsável pela nossa sensação de bem-estar, é produzida pelos intestinos?

Não por acaso, muitos especialistas costumam dizer que o órgão é nosso segundo cérebro e que se ele funciona bem, nossa qualidade de vida aumenta consideravelmente.

Diante disso, separamos cinco motivos para você cuidar bem do seu intestino. Confira:

  • Nosso cérebro está em constante comunicação com o intestino. Esse é um dos motivos que faz com que aconteçam alterações intestinais sempre que passamos por alguma situação de ansiedade;
  • É o intestino que recebe os nutrientes necessários para garantir nossa nutrição. Ele também é responsável por metabolizar essas substâncias, transformá-las em algo útil ao nosso organismo e produzir energia para o funcionamento do nosso corpo;
  • Nosso intestino tem participação ativa e importante nas funções endócrinas (hormonais) e imunológicas, eliminando tudo aquilo que o nosso corpo não precisa;
  • É ele que nos ajuda a manter a quantidade de sangue que circula em nosso corpo. Por isso desidratamos quando temos diarreia e vômitos;
  • Acredita-se que aproximadamente 70% das células imunes estão presentes na mucosa intestinal. Por isso, um intestino saudável, com a presença de bactérias boas, dificulta a proliferação e crescimento de micro-organismos que causam doenças.

Para manter nosso intestino saudável, é fundamental que tenhamos uma alimentação variada, com diferentes fontes de nutrientes, ingestão de água satisfatória (1,5 a 2 litros por dia) e exercícios físicos regulares.

Além disso, os especialistas indicam que nossa dieta inclua uma quantidade diária de 25 a 30 gramas de fibras e que sejam evitados os alimentos industrializados, os embutidos e as conservas.

Uma alimentação irregular pode facilitar a ocorrência de problemas como distensão abdominal, dor, flatulência, constipação ou diarreia. Nesse caso, suplementos probióticos e prebióticos podem ajudar a reduzir o mal-estar e restabelecer o equilíbrio da flora intestinal.

____

Se você é prescritor ou farmacêutico, conheça o Olix 95, um prebiótico seletivo que exerce boa influência sobre a saúde da microbiota intestinal, estimulando o desenvolvimento das bactérias benéficas que inibem o desenvolvimento de bactérias patogênicas e suas toxinas.

Publicado em:

fevereiro 19, 2020

Compartilhar

Endereço:

Av. Jabaquara 1771 – Saúde

São Paulo / SP

Telefone / Fax: +55 (11) 3508.0300

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: [email protected]