Os problemas de pele que podem ocorrer durante a gravidez

Os problemas de pele que podem ocorrer durante a gravidez

Durante a gestação, o corpo da mulher sofre mudanças fisiológicas importantes, que vão desde alterações metabólicas e hormonais até vasculares. A pele também passa por uma série de mudanças que podem refletir no surgimento de vários problemas, como por exemplo, estrias, manchas escuras (melasma) e flacidez, esta última devido ao aumento de peso.

Essas mudanças acontecem por uma série de fatores. Um deles é o crescimento da atividade de glândulas como hipófise, tireoide e adrenais, ocasionando a ampliação dos níveis de cortisona. Além disso, durante a gravidez, há um aumento expressivo na produção de proteínas e hormônios como a progesterona e estrogênio. Juntas, todas essas mudanças podem impactar de maneira negativa a vida da gestante.

A boa notícia é que apesar de serem sintomas comuns, é possível prevenir essas complicações durante a gestação.

 

Estrias e flacidez durante a gravidez

A maioria dessas marcas na gravidez acontece por conta dos hormônios e devido ao ganho de peso comum do período. A flacidez surge em todo o corpo, principalmente na região abdominal, parte interna das coxas e mamas. Já as estrias podem aparecer também nos seios, parte posterior do joelho, quadril, nádegas e barriga.

As estrias e a flacidez também podem ser minimizadas com o controle de ganho de peso e a hidratação da pele com ativos próprios para a prevenção do estiramento das fibras elásticas e colágenas. A hidratação mantém as barreiras da pele íntegras, minimizando o surgimento das cicatrizes brancas. A gestante deve ser sempre acompanhada do seu médico obstetra e do seu dermatologista para que ambos possam definir e orientar sobre essa fase da vida cheia de mudanças para as mulheres.

 

Melasma: como prevenir na gestação

Manchas escuras na pele, conhecidas como melasmas, costumam aparecer (ou piorar) em mulheres grávidas, especialmente no rosto. O melasma costuma surgir na segunda metade da gravidez e pode atingir até 75% das mulheres. Este problema de pele tende a regredir espontaneamente até um ano após o parto. As manchas escuras de melasma se manifestam apenas nas regiões expostas à radiação solar – no rosto, pescoço e colo – e são decorrentes ao aumento de alguns hormônios durante a gestação, principalmente o hormônio melanocítico estimulante.

O melasma pode ser evitado com o uso adequado do protetor solar diário, bases físicas associadas e até o uso de bonés e chapéus durante o dia. Roupas com tecidos de proteção ultravioleta são ótimos coadjuvantes nessa defesa. Ativos clareadores e antioxidantes podem auxiliar na prevenção de pequenas manchas mas sempre orientados por um dermatologista ao longo da gravidez.

 

Pelos, unhas e cabelos

Enquanto algumas mulheres vibram porque os cabelos ficam mais volumosos e brilhantes durante a gestação, outra grande parcela percebe uma redução significativa dos fios devido à queda. A gravidez acarreta uma perda de moderada a intensa nos primeiros cinco meses de gestação. Mas o quadro se reverte rapidamente no pós-parto e tem excelente prognóstico.

No caso dos pelos, a quantidade pode aumentar, especialmente no início da gestação. Pernas, buço, sobrancelha, axilas, virilha: as grávidas conseguem perceber facilmente a multiplicação dos pelos nessas regiões. Isso acontece graças ao crescimento na produção de hormônios andrógenos (masculinos) pelo ovário.

Já as unhas, que tendem a crescer mais durante este período, também podem sofrer alterações como desprendimentos, surgimento de manchas brancas e até ressecamento.

 

Aumento da acne

Cerca de 20% das mulheres adultas têm acne e as alterações fisiológicas que ocorrem na gestação podem agravar ainda mais o aparecimento destas lesões na pele. Estudos demonstram que mais de 50% das pacientes com acne na gestação apresentavam o subtipo persistente da doença (aquele presente desde a adolescência) e, na maioria delas, a acne piorou na gravidez.

Assim como em fases anteriores da vida, a acne durante a gravidez surge principalmente na face, pescoço e tronco – regiões com maior incidência das glândulas sebáceas. Para tratar a acne durante a gravidez, a recomendação é não usar substâncias como antibióticos, por exemplo, devido ao aumento de resistência bacteriana.

Cremes ou peelings químicos à base de ácido retinóico também devem ser evitados no decorrer da gestação. A conduta ideal da acne na gestação é o início precoce do tratamento e a avaliação, juntamente com o obstetra, da necessidade do uso de medicações sistêmicas em casos selecionados. Para ajudar com a acne na gravidez, a dica é lavar a pele com sabão neutro, usar hidratante com textura não oleosa e, de preferência, que já tenha proteção solar, além de evitar ao máximo o uso de maquiagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pele saudável

Saiba os benefícios que os antioxidantes trazem para a pele

No dia a dia, a pele está exposta a inúmeros agressores resultantes na formação de radicais livres, que são espécies reativas ou moléculas, fragmentos altamente instáveis, produzidos em pequenas quantidades durante o metabolismo celular, como na produção de energia, fagocitose, controle do crescimento celular e síntese de compostos biológicos.

Sua formação é devido a poluição do meio ambiente, exposição solar, resíduos de pesticidas presentes nos alimentos cultivados em grandes quantidades, substâncias presentes em alimentos e bebidas (aditivos químicos, hormônios, entre outros), raio-X, radiação ultravioleta e radiação gama em alimentos e estresse.

Com o passar do tempo, tornam-se visíveis as mudanças no aspecto da pele, como o aparecimento de rugas, aspereza, falta de pigmentação e flacidez. O embasamento científico possibilitou o desenvolvimento de vários ativos cosméticos e nutricosméticos empregados em novos produtos, especialmente contendo antioxidantes, com os quais é possível retardar os efeitos cutâneos dos radicais livres.

Mas o que seriam esses antioxidantes?

Antioxidante é algo que possui o poder de impedir ou retardar o processo oxidativo. O mesmo inativa a formação dos radicais livres, com foco em diminuir seus efeitos e reparar o dano celular por eles provocado. Um exemplo de um excelente antioxidante altamente eficaz no tratamento da pele é a vitamina E, que interrompe a formação dos radicais livres envolvidos na peroxidação lipídica por doar seu hidrogênio, convertendo-os a uma forma menos agressiva, de fraca ou nenhuma toxicidade, protegendo assim os lipídios e fosfolipídios da membrana contra a oxidação. Os benefícios do seu uso são: hidratação cutânea, proteção contra radiação ultravioleta evitando o aparecimento de rugas e manchas na pele.

Outro exemplo de uma importante classe de antioxidante são os polifenois, que também possuem atividade contra o aumento da peroxidação lipídica e atuam preservando a barreira da pele e protegendo contra os efeitos deletérios da radiação UV, o que retarda envelhecimento cutâneo e também contribui para o aumento da síntese de pró colágeno tipo 1, tratando e prevenindo o aparecimento das linhas de expressão.

Pensando nessa sinergia a Vepakum traz ao mercado magistral a combinação perfeita entre os antioxidantes capazes de auxiliar no cuidado e saúde da pele. O SepifitTM Protect é o único ativo que possui a associação entre vitamina E e o Provinols (rico em 30% de polifenois).

Young businesswoman using phone in coffee shop

Sabe o que é luz visível? Confira como ela pode prejudicar a sua pele

Se você está lendo isso em seu tablet ou laptop e seu smartphone está sempre no alcance de suas mãos, então você pode ter um motivo para se preocupar: segundo os dermatologistas, a luz emitida pelas telas dos aparelhos eletrônicos pode causar sérios danos à pele e levar ao seu envelhecimento precoce.

Através de vários estudos realizados em todo o mundo, ficou comprovado que a luz que irradia de celulares, laptops e tablets é tão prejudicial quanto a luz UV do sol, se não mais. Ela penetra mais profundamente do que a luz UV em nossa pele e tem um impacto negativo no DNA dentro das células, acelerando o processo de envelhecimento.

Além dos gadgets, as lâmpadas que aquecem, como as dicróicas, por exemplo, também emitem raios que são bastante prejudiciais à pele. Já as chamadas lâmpadas frias são menos agressivas, mas ainda assim exigem cuidados especiais.

Agora, se o assunto é o prejuízo na pele causado pelas luzes visíveis, nada supera as usadas nas câmaras de bronzeamento artificial. Muita gente opta por essa técnica, pensando que irá evitar os riscos causados pela radiação solar, sem saber que, na verdade, essas luzes podem até aumentar e acelerar esses problemas, como câncer de pele, melasmas, envelhecimento precoce e até queimaduras graves.

Mercado 

Aqui no Brasil, a maioria dos protetores solares industrializados disponíveis no mercado protegem apenas contra os raios ultravioletas UVA e UVB, e não protegem da luz visível.

As exceções ficam por conta dos filtros físicos, que começaram a chegar por aqui há pouco tempo, mas ainda possuem um valor elevado, comparado com os filtros tradicionais. Esses filtros físicos refletem e dispersam a energia da luz, construindo uma barreira física às radiações.

No entanto, a boa notícia é que já existem ativos antioxidantes que são capazes de filtrar essas luzes e proteger o DNA da pele. Portanto, procure a farmácia de sua confiança e converse a respeito.

—–

Farmacêuticos e prescritores interessados em ativos que protejam a pele contra os danos da luz visível, entrem em contato com a gente e conheçam as nossas opções. Com certeza uma delas irá atender às suas necessidades.

Por que usar o filtro solar todos os dias

Por que usar filtro solar todos os dias?

Essa é uma pergunta muito recorrente e cuja resposta é bem simples: porque é um produto de cuidados com a pele que a mantém protegida, saudável e ainda combate o envelhecimento precoce.

Infelizmente, existe uma falsa impressão de que o filtro solar serve apenas para evitar as queimaduras de sol, o que não é verdade. Não por acaso, muitos lembram do produto quando vão à praia ou à piscina, mas negligenciam seu uso nos demais dias. No entanto, os raios ultravioletas estão sempre presentes, até mesmo em dias de chuva. E eles são a principal causa do câncer de pele.

Além disso, a radiação UVA, por exemplo, é tão forte que consegue atravessar até mesmo vidros e janelas. Por isso é muito importante que você se mantenha protegido mesmo dentro de casa ou no escritório. A propósito, falando em radiação, você sabe a diferença entre elas?

Radiação infravermelhaatinge a epiderme e é totalmente inofensiva. É graças a ela que sentimos o calor do sol e o único desconforto que ela nos causa é a sensação de ressecamento e desidratação, em alguns casos.

UVA – penetra nas camadas mais profundas da pele e não deixa marcas, como as queimaduras solares, por exemplo. É responsável pelo envelhecimento precoce e pelo melanoma, o tipo mais agressivo de câncer.

UVB – provoca a vermelhidão e as tão temíveis queimaduras, normalmente observadas após longos períodos de exposição ao sol.  Está diretamente relacionada ao câncer de pele não melanoma, que é o mais comum dos tumores de pele.

 

Erros que não podem ser cometidos

Agora que você já conhece os diferentes tipos de radiação e seus efeitos na pele, confira alguns dos erros mais comuns cometidos com relação ao uso do protetor solar:

1) Não usá-lo todos os dias. A exposição da pele ao sol acontece o tempo todo: no caminho para o trabalho (ou para uma padaria, por exemplo), enquanto estamos dentro do carro e até mesmo se nossa mesa de trabalho fica próxima de uma janela. Por isso, é fundamental usar o filtro solar todos os dias.

2) Não usar a quantidade suficiente. Para ficar devidamente protegido, cada centímetro da sua pele deve ter sido coberto pelo filtro solar. Segundo o Conselho Brasileiro de Fotoproteção, as quantidades ideais são as seguintes: uma colher de chá para rosto e pescoço; duas colheres de chá para frente e trás do torso; uma colher de chá para cada braço e duas colheres de chá para cada perna.

3) Não reaplicar o produto ao longo do dia. Se você pretende passar muito tempo fora de casa, não adianta passar o filtro solar pela manhã e acreditar que estará protegido até o final do dia. O ideal é reaplicá-lo a cada duas ou três horas, em dias normais, e em intervalos ainda menores se você estiver na praia ou na piscina, ou ainda se praticar alguma atividade física que aumente sua transpiração.

4) Usar o fator de proteção errado. Esse tópico costuma ser polêmico. Há quem defenda que protetores solares com FPS inferior a 30 nem deveriam ser considerados. Assim, o FPS 30 seria indicado para morenas, o FPS 50 para pessoas de pele clara e o FPS 60 ou maior para pessoas de pele muito clara. No entanto, também há quem diga que produtos com FPS 30 já oferecem 96% de proteção e que acima disso o ganho é mínimo. Para não errar, peça ajuda do seu dermatologista. Ele com certeza irá saber qual o produto adequado ao seu tipo de pele.

5) Pensar que a roupa ajuda a te proteger. Só porque sua pele está coberta por uma camada de roupa, não significa que está protegida dos danos solares. Isso só irá acontecer se suas roupas possuírem essa tecnologia, o que geralmente acontece apenas com linhas muito específicas, destinadas, em sua maioria, à prática esportiva. Por isso, use o protetor no corpo todo.

6) Não ligar para o prazo de validade do produto. Tem o mesmo protetor solar guardado no seu armário há anos? Pois saiba que eles costumam ter prazo de validade. Além disso, o local onde ele é armazenado também pode comprometer sua eficácia. Por isso, nunca deixe o seu no carro, por exemplo, ou em outros locais muito quentes e úmidos.

Seguindo todas essas dicas, você vai garantir uma pele saudável e protegida o ano todo.

_________

Se você é farmacêutico ou prescritor, conheça o Celligent, um reparador de DNA que promove rápida regeneração das células danificadas pelos raios UV, aumenta a fotorresistência da pele, diminui a vermelhidão causada pelas queimaduras solares e ainda atua nos danos que causam o envelhecimento da pele. Conheça. Pode ser usado em protetores solares, loções pós-sol ou produtos anti-aging. Entre em contato conosco e saiba mais.

Publicado em:

junho 6, 2019

Compartilhar

Endereço:

Av. Jabaquara 1771 – Saúde

São Paulo / SP

Telefone / Fax: +55 (11) 3508.0300

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: [email protected]